por Girrana Rodrigues

Sabe aquele colega de trabalho que na hora do cafézinho reclama que a bebida está fraca demais? Cuidado. Ele pode ser um psicopata. De acordo com o Daily Mail, Psicólogos da Universidade de Innsbruck, na Áustria, descobriram que pessoas que preferem alimentos amargos são mais propensos a serem hipócritas, egoístas e a sentirem prazer da dor de outras pessoas.

No estudo, 500 homens e mulheres, com uma média de 35 anos, analisaram uma longa lista com o mesmo número de alimentos doces, salgados, azedos e amargos. No catálogo estavam alimentos que variavam desde bolo de chocolate até vinagre.

+Esse site mostra onde comer, beber, ou tomar um cafézinho o mais perto possível de onde você está

Depois dessa etapa, os voluntários tiveram que avaliar o quanto gostavam de cada iguaria, em uma escala de seis pontos, eles podiam expressar gostar muito ou detestar o alimento. Por fim, o grupo respondeu questões relacionadas a personalidade e realizou a Avaliação Compreensiva de Tendência Sádica, teste que revela as chances que uma pessoa tem para o “sadismo no cotidiano”.

Os pesquisadores concluíram que quem tinha traços de sadismo realmente preferia alimentos amargos. A autora do estudo, Christina Sagioglou, explicou que para esse grupo comer alimentos amargos pode ser “comparado a um passeio de montanha russa, onde as pessoas gostam de coisas que induzem ao medo.”

A maioria dos seres humanos não gostam de alimentos amargos. Isso porque, na natureza, plantas com esse gosto geralmente são venenosas. “Pode haver prazer do fato de que o corpo está sinalizando rejeição, mas a pessoa sabe que não há nenhuma ameaça real”, afirmou Christina.

Na dúvida, é melhor desconfiar de quem não faz cara feia com café amargo e adora jiló.