por Fabiano Tresbach

Em outubro de 2015, Sanmay Ved, um ex-funcionário do Google conseguiu comprar o domínio Google.com, mas a ilusão durou pouco – por volta de um minuto, segundo sua postagem no LinkedIn. Pouco tempo depois de a transação ser aceita, ela foi cancelada e Sanmay entrou em contato com o departamento de segurança da empresa para notificá-lo do ocorrido. Como Sanmay explica em suas palavras, os técnicos não foram capazes de lhe explicar como ou por que ele conseguiu comprar o endereço pelo próprio serviço de registro de domínios da companhia, mas que iriam investigar.

+ Google Maps tem busca racista contra Obama

Um tempo depois, ele foi contactado por representantes do mesmo departamento com uma oferta monetária por sua descoberta de uma falha importante no sistema, que só pôde ser revertida porque o Google também era dono do sistema utilizado por Sanmay para fazer a compra. Caso a venda do domínio tivesse sido agenciada por outra empresa, não teria necessariamente sido possível resolver-se a situação com a mesma facilidade.

+ Buscas por ‘Feminismo’ e ‘Empoderamento Feminino’ cresceram no Google – e isso é ótimo

À época nem o gigante da internet nem Sanmay revelaram o valor ou detalhes da recompensa oferecida pelo Google pela falha identificada no Google Domains. Mas, nesta quinta-feira (28), a empresa revelou, por uma postagem em um de seus blogs oficiais, que sua oferta inicial foi de 6,006.13 dólares. O valor simbólico é um trocadilho e representa o nome “Google” numericamente (G=6, O=0, L=1, E=3 – mas provavelmente você não precisou desta legenda).

Sanmay-Ved-arquivo-pessoal

Sanmay Ved (Foto: Arquivo Pessoal)

Em vez de aceitar a recompensa, Sanmay pediu que o valor fosse doado à fundação Art of Living India, que tenta combater a pobreza e trabalho infantil oferecendo educação para mais de 39 mil crianças em diferentes regiões da Índia. No caso, o Google não só acatou o pedido, mas acabou dobrando o valor.