por Milena Buarque

insub_foto

Divulgação

Em curta temporada no Ágora Teatro, em São Paulo, o espetáculo “Insubmissas”, com dramaturgia de Oswaldo Mendes, mostra a intolerância da sociedade, em diferentes épocas, com quatro cientistas mulheres: Hipácia de Alexandria, Marie Cure, Rosalind Franklin e Bertha Lutz. No século V, Hipácia morreu ao defender o uso da matemática para a transformação da sociedade. O destino das outras três personagens não foi tão trágico, mas todas se unem pela discriminação e pelo preconceito que tiveram de enfrentar em um universo notadamente masculino.

A biofísica inglesa Rosalind Franklin (1920-1958), que concluiu ter o DNA a forma helicoidal, não teve o reconhecimento do prêmio Nobel – quatro anos após a sua morte, em 1962, os cientistas James Dewey Watson, Maurice Wilkins e Francis Crick confirmaram suas pesquisas e receberam o prêmio. A polonesa Marie Curie (1867-1934), antes de se consagrar como a primeira pessoa a ser laureada duas vezes com um Nobel (de Física e de Química), antes de ser reconhecida pela descoberta dos elementos químicos rádio e polônio, enfrentou declarações explícitas de xenofobia por parte da imprensa francesa, e só foi admitida na Academia de Ciências da França depois de muitas tentativas.

No Brasil, a bióloga Bertha Lutz (1894-1976) não teve o reconhecimento de seu pai, o pioneiro em medicina tropical Adolpho Lutz, foi a segunda brasileira a integrar o serviço público no país e, ao ser chamada para chefiar o setor de botânica do Museu Nacional, teve de ser admitida como secretária, pois o Estado Novo não concebia uma pesquisadora mulher. Ela fez da luta pelos direitos da mulher um de seus objetivos de vida.

A peça faz parte do projeto “Arte Ciência no Palco”, da Cooperativa Paulista de Teatro, que, desde 1998, já montou mais de 15 espetáculos dedicados à relação entre ciência e arte.

Dirigida por Carlos Palma, “Insubmissas” mostra o que todas nós, mulheres, infelizmente já sabemos pela vivência diária: os tempos mudaram, mas ainda resta um outro tanto de caminho ao virar a esquina. No entanto, felizmente, também sabemos: nós todas somos insubmissas.

Serviço
Insubmissas, até 31 de maio
Elenco: Vera Kowalska, Selma Luchesi, Rosalind Franklin, Monika Plöger e Adriana Dham

Endereço: Rua Rui Barbosa, 672, Bela Vista
Preço: R$40 (inteira) e R$20 (meia) – Bilheteria funciona uma hora antes da apresentação e não aceita cartão ou cheque
Às sextas, mulheres pagam R$10
Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h.
Duração: 90 min.
Classificação etária: 12 anos