por Rafael Gonzaga

A gente sabe que não tem nada melhor do que dar um mergulho no mar durante o verão. O legal é que, agora, graças ao artista Jason deCaires Taylor e ao projeto Museo Atlantico, a galera vai poder se refrescar enquanto aprecia algumas obras de arte. Ok, não é exatamente uma ida convencional à praia: localizado a cerca de 12 metros de profundidade na águas cristalinas da costa atlântica da ilha de Lanzarote, a mais oriental do arquipélago das Canárias, na Espanha, o rolê só é acessível a mergulhadores e visitantes em barcos com aqueles fundos de vidro que permitem ver o que está acontecendo debaixo dos pés. Esse é o primeiro museu subaquático de arte contemporânea no Oceano Atlântico e tem como objetivo promover o turismo na ilha e reafirmar a riqueza cultural e artística da região, traçando essa espécie de diálogo entre arte e natureza.

Quem curtir a ideia e quiser dar uma olhada no projeto vai encontrar esculturas hiper-realistas de figuras humanas engajadas em uma causa nobre. Jason deCaires Taylor é um cara já conhecido pelo engajamento social em suas obras e é claro que dessa vez não seria diferente. As instalações atuais do Museo Atlantico discutem a situação complicada dos refugiados da Síria. Em uma das obras, chamada A Jangada de Lampedusa, o artista ilustra a crise humanitária com um barco lotado de refugiados buscando escapar das regiões de conflito. Outra obra, chamada Rubicao, 35 estátuas dão a impressão de estarem caminhando para um portal. De acordo com o próprio DeCaires Taylor, a ideia da exposição não é a de ser um memorial, mas um lembrete da responsabilidade coletiva com essa situação. Se liga nas fotos das obras:

Foto: Reprodução/ Facebook
Foto: Reprodução/ Facebook
Foto: Reprodução/ Facebook
Foto: Reprodução/ Facebook
Foto: Reprodução/ Facebook
Foto: Reprodução/ Facebook
Foto: Reprodução/ Facebook
Foto: Reprodução/ Facebook
Foto: Reprodução/ Facebook
Foto: Reprodução/ Facebook
Foto: Reprodução/ Facebook
Foto: Reprodução/ Facebook