por Clara Novais

Editar um filme deve dar um trabalhão. São várias horas de gravação, cenas com erros de atuação e produção, um cuidado milimétrico para manter a continuidade… Mais complicado ainda deve ser gravar um filme inteiro em um take só. Sem interrupções, sem falhas e, ainda por cima, belo.

Essa dificuldade por si só é um motivo para assistir ao filme Victoria, do alemão Sebastian Schipper. São 134 minutos, gravados interruptamente, sobre uma jovem de Madrid que se muda para Berlim. Em uma festa, Victoria (Laia Costa) acaba se apaixonando à primeira vista por Sonne (Frederick Lau). Ele e seus amigos tem uma divida antiga, na qual ela acaba se metendo e sofrendo as consequências junto com eles.

+ Minority Report: criaram um algorítimo que prevê (ou quase) crimes entre soldados

Nas imagens exibidas no trailer – disponibilizado pela Imovision primeiramente para o Papel Pop – dá para sentir que vem pedrara por aí. Parece que a produção deu conta do recado e que esse filme tem tudo para entrar para a história do cinema.

No Festival de Berlim deste ano, o filme venceu o Urso de Prata de Melhor Contribuição Artística. Ele será lançado em 24 de dezembro no Brasil.