branded content

O corre criativo não pode parar

Com o projeto All Stars, Converse celebra a nova etapa da linha CX ao aliar a leveza e o movimento à potência de jovens artistas

por Converse + Elástica Atualizado em 27 jul 2022, 12h23 - Publicado em 15 jul 2022 16h40
-
Converse/Reprodução

O batimento cardíaco acelera, os olhos enchem de água, os pelos da nuca arrepiam. Poderia ser a descrição do que acontece quando recebemos um beijo, mas esse é o efeito produzido por uma obra de arte no nosso organismo. Causar sensações, emocionar e provocar reflexões é o papel da arte, seja qual for o formato. É como se o entendimento de uma música ou quadro dependesse de nossas próprias referências – e isso mostra o quão potente é a cultura. 

No entanto, a cultura foi atingida em cheio durante a pandemia. O setor foi o primeiro a parar com a proibição de aglomerações, e praticamente o último a retornar com força total. Felizmente, estamos na crista de uma onda de retomada, que chega valorizando o coletivo e as novas descobertas criativas. “Estou trabalhando muito mais do que antes. As pessoas querem muito participar da vida em público porque ficar esse tempo recluso nos fez valorizar mais o movimento”, conta a artista visual Luiza Vianna, conhecida como VJ Luv. “É uma energia muito positiva conviver com as pessoas do lado de fora.”

“As pessoas querem muito participar da vida em público porque ficar esse tempo recluso nos fez valorizar mais o movimento. É uma energia muito positiva conviver com as pessoas do lado de fora”

VJ Luv
Luiza Vianna é VJ, ilustradora e une tecnologia à arte.
Luiza Vianna é VJ, ilustradora e une tecnologia à arte. Converse/Divulgação

Um dos últimos trabalhos de VJ Luv a nascer foi em parceria com o diretor de arte e criação, artista plástico e estilista Enzo Carozzi e com a MC, cantora, compositora e artista periférica Carmen Lennon. Juntos, os três conceberam, a seis mãos, uma experiência audiovisual imersiva para ocupar a Publica, espaço cultural na Vila Buarque localizado no térreo de um prédio construído pelo icônico arquiteto alemão Franz Heep. 

Continua após a publicidade

A equipe de artistas se uniu para criar uma instalação em dez dias no espaço cultural Publica.
A equipe de artistas se uniu para criar uma instalação em dez dias no espaço cultural Publica. Converse/Divulgação

A chamada Praça do Amanhã foi criada em dez dias e partiu da ideia de uma espécie de “praça do futuro”. “O conceito nos remete a um lugar com acesso à cultura 24 horas por dia e em todos os lugares da cidade. Isso já acontece em alguns países, mas seria muito legal se acontecesse aqui também”, explica VJ Luv. 

O resultado reforça que o corre criativo não pode parar porque inspira a população a todo o momento. Para se ter ideia, um relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) constatou que contato com a arte é benéfico para a saúde física e mental. Quando colocada em local público, por exemplo, se torna um respiro aos moradores da cidade. Se você já passou por um graffiti na rua e ele deixou seu dia mais leve, sabe bem do que estamos falando. 

A OMS informa: o contato com a arte é benéfico para a saúde física e mental. Quando colocada em local público, se torna um respiro para moradores da cidade

-
Enzo Carozzi, Luiza Vianna e Carmen Lennon partiram de uma ideia de praça do futuro para conceber a exposição. Converse/Divulgação

A exposição é uma iniciativa da Converse através do projeto All Star Series – Create Next. A proposta da marca é desafiar os criadores a pensarem uma obra original e que, ao mesmo tempo, reúna diferentes campos de expressão. A primeira edição foi realizada em Sydney, na Austrália, e agora é a vez do Brasil.

Continua após a publicidade

-
Quem conferir a exposição também verá os tênis da nova fase da linha CX, que usa a tecnologia para dar mais conforto e otimizar os movimentos. Converse/Divulgação

Tecnologia que otimiza o movimento

Além da instalação, serão exibidos ao público os tênis de destaque da nova fase da linha CX. A tecnologia é usada para dar mais conforto aos modelos Chuck Taylor All Star, Run Star Motion e Weapon. Isso porque ela otimiza os movimentos, além de deixar o design mais moderno – mesma ideia por trás das ilustrações de VJ Luv.

A VJ mescla desenhos com gravações em vídeo para compor as projeções nas paredes da Publica. “Filmamos a Carmen em chroma key e, por cima, fiz ilustrações para simular um holograma. No fim, fizemos uma performance visual para compor o show dela”, conta. 

O design mais moderno também faz parte da nova linha, que se aplica aos modelos Chuck Taylor All Star, Run Star Motion e Weapon.
O design mais moderno também faz parte da nova linha, que se aplica aos modelos Chuck Taylor All Star, Run Star Motion e Weapon. Converse/Divulgação

Além das projeções, outra obra surgiu de uma conversa entre a equipe sobre a diversidade de pessoas que andam pelas ruas, praças, parques e espaços urbanos. “Analisamos como a cidade une múltiplas personalidades. A praça é um lugar que, ao mesmo tempo que tem alguém da quebrada, há aquela velhinha fazendo tai chi chuan”, lembra a VJ. “Foi aí que surgiu a ilustração dessa cena – que tem partes em textura de toalha que parece uma estampa em movimento.”

“Analisamos como a cidade une múltiplas personalidades. A praça é um lugar que, ao mesmo tempo, tem alguém da quebrada e aquela velhinha fazendo tai chi chuan”

VJ Luv

Luv, junto com a DJ Sophia e o artista Marcelo Rocha, foi selecionada para ir para Paris participar de um talk exclusivo com o músico  Tyler, The Creator – parceiro criativo da Converse desde 2017. “Fazer algumas perguntas para ele abriu minha mente para novas possibilidades criativas e me deu muitas referências”, revela.

Continua após a publicidade

-
colagem/Redação

A força do corre da periferia

Quando entramos na instalação futurista, nos deparamos com cores, postes de luz e um emaranhado de fios que nos levam à periferia de São Paulo. A trilha sonora, que faz você querer se mexer o tempo todo, é composta por Carmen e tocada em loop em um show que nunca acaba. “Quisemos trazer a cultura da favela para as pessoas porque ela faz parte da construção do nosso país”, diz a artista. “Mas apesar de leves, as músicas também trazem uma crítica social.”

Ao todo, são 13 minutos que se dividem em três faixas e um beat instrumental. As letras falam sobre a necessidade de valorização da produção cultural periférica, das raízes do povo brasileiro e da igualdade de gênero – temas necessários e muito debatidos na atualidade. “Uma das músicas que compus diz: ‘na periferia ninguém ganha pela arte’. Isso porque precisamos trabalhar muito para pagar nossas contas e ajudar nossa família, aí não temos tempo de focar na criatividade. Por isso o apoio da Converse é tão importante”, reflete. 

“Uma das músicas que compus diz: ‘na periferia ninguém ganha pela arte’. Isso porque precisamos trabalhar muito para pagar as contas e ajudar a família, aí não temos tempo de focar na criatividade. Por isso o apoio da Converse é tão importante”

Carmen
A artista Carmen Lennon compôs três faixas e um beat para a trilha sonora da instalação.
A artista Carmen Lennon compôs três faixas e um beat para a trilha sonora da instalação. Converse/Divulgação

A partir do engajamento no meio, a marca se torna uma catalisadora da carreira desses artistas para que eles não desistam do seu corre. “Na favela não temos apoio, estrutura e, muitas vezes, motivação dentro de casa”, conta. “Quando falei para os meus pais que ia fazer um som, eles disseram que não ia dar em nada. Mas esse projeto mostrou que era possível dar um gás e consegui construir uma visão do que quero seguir.”

Continua após a publicidade

-
O grupo contou com a mentoria do produtor musical e audiovisual Parteum, que já trabalhou com estrelas do rap nacional, como MV Bill e Rappin Hood. Converse/Divulgação

O futuro é coletivo

O grupo ainda teve como mentor uma grande referência, conhecido nome no rap e hip hop brasileiro: o rapper e produtor musical e audiovisual Parteum. Artista multidisciplinar, ele transita no cenário do skate e já produziu trabalhos para outras estrelas do rap nacional, como MV Bill e Rappin Hood. “Foi muito muito legal ter alguém disposto a olhar nosso trabalho, direcionar nossas ideias e estimular nossa produção”, afirma Enzo. 

O artista, que contribuiu com a visão da quebrada e pixações nas paredes, faz uma conexão visual da cultura preta ancestral com a contemporaneidade através de fotografias, pinturas e até coleções de roupas. “Eu resgato um passado ancestral porque ele é muito importante para imaginarmos um futuro onde há coletividade, criatividade e valorização da diversidade. A gente não constrói nada sozinho.”

“Eu resgato um passado ancestral porque ele é muito importante para imaginarmos um futuro onde há coletividade, criatividade e valorização da diversidade. A gente não constrói nada sozinho”

Enzo Carozzi
O diretor de arte e criação, artista plástico e estilista Enzo Carozzi faz uma conexão visual da cultura preta ancestral com elementos atuais.
O diretor de arte e criação, artista plástico e estilista Enzo Carozzi faz uma conexão visual da cultura preta ancestral com elementos atuais. Converse/Divulgação

Da ideia inicial ao resultado final, tudo foi feito de forma horizontal. A cada encontro, os artistas falavam sobre suas ideias e os três davam feedbacks, mudando o que era preciso até chegarem num consenso. “É preciso ter muita confiança para deixar sua arte na mão do outro. Mas a Converse acertou bastante quando nos reuniu! Tivemos afinidade e liberdade para criar.”

Continua após a publicidade

Você já imaginou quantos artistas talentosos existem no mundo? Enzo, Luiza e Carmen são algumas das vozes artísticas que a Converse mapeou ao redor do globo. Todos eles fazem parte da comunidade All Star, que está espalhada em mais de 30 países e conta com mais de 2.300 jovens criativos. Só no Brasil, há mais de 100 jovens centrados nos pilares de arte, moda, esporte e música. Esse é um ecossistema voltado para a criação de oportunidades de orientação, mentoria, comissão, financiamento e co-criação para fortalecer a arte. 

A comunidade All Star tem mais de 2.300 jovens criativos espalhados por 30 países. Só no Brasil, são mais de 100 criadores centrados nos pilares de arte, moda, esporte e música

Para conhecer mais e fortalecer o time do All Stars, confira o site oficial da marca!

Serviço

Endereço: R. Sebastião Pereira 110 – Vila Buarque
Horário de funcionamento: 10h às 18h

Continua após a publicidade

Tags Relacionadas
mais de
branded content
VULVA_USEBOB_JU_FRUG_8658

Com a palavra, a Vulva

Por
Por que falamos tão pouco sobre saúde íntima para pessoas com vulva? Precisamos mudar esse cenário – e trazer mais informação para quem precisa
Casadas e com planos de engravidar no ano que vem, Ana Pucharelli e sua mulher encontraram no amor a melhor forma de resistência
Caio Revela e Beta Boechat contam como consolidaram um relacionamento baseado na confiança, na luta contra a gordofobia e no companheirismo
Amanda Mendes, a @todecrespa, fala sobre abraçar sua beleza, honrar suas raízes e inspirar mulheres de todo o país nessa jornada de aceitação