evolução

Elástica explica: termos juvélicos

Conheça os nomes possíveis para diferentes orientações e gêneros no amplo espectro da sexualidade

por Redação 26 jan 2022 23h52
-
Clube Lambada/Ilustração

alar sobre identidade, gênero e sexualidade é, sem dúvida, falar sobre um espectro enorme, diverso e, muitas vezes, muito difícil de definir com palavras. Dentro dos movimentos que lutam por respeito à diversidade, convencionou-se usar o símbolo “+” no fim da sigla LGBTQIAP+ para não excluir ninguém que não se sinta representado pelas letras em destaque: lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e travestis, queer, intersexo, agênero e pansexuais.

No entanto, ao observar mais atentamente as classificações compreendidas na sigla, percebemos que existe uma mistura do que é orientação sexual (lésbica, gay, bissexual – ou seja, nomenclaturas relacionadas à atração de cada indivíduo) e do que é identidade de gênero (transexual, intersexo, agênero – maneira como a pessoa se identifica e se reconhece). Pensando em aumentar a representatividade e incluir pessoas que não se entendem como parte das definições existentes, alguns membros da comunidade cunharam o termo “juvélicos” para definir uma nova gama de nomes a partir de um sistema de atração baseada em gênero.

O jornalismo em que a gente acredita depende de você; apoie a elástica

Também conhecido como sistema GAG (gênero atraído por gênero), os termos juvélicos podem ser considerados orientações sexuais e podem também substituir as definições “tradicionais” (se é que podemos usar essa palavra para algo tão progressista e experimental). Falamos “podem” porque não são termos que possuem o objetivo de substituir orientações como hétero, gay e lésbica, ou de obrigar pessoas que sentem atração por mais de um gênero a falar de todos os detalhes. “São termos que podem ser usados como ferramentas para especificar detalhes ou deixar as coisas mais vagas/inclusivas para quem quer”, escreve o site independente Orientando.org, um dos únicos a fornecer informações sobre termos juvélicos em português.

É importante pontuar também que as terminologias citadas – e as que citaremos adiante – são iniciativas independentes. Ou seja: não são termos oficiais e são um trabalho em constante produção e mudança. Decidimos falar sobre esse universo aqui na Elástica pois acreditamos que, se o propósito é incluir e fazer com que mais pessoas se sintam representadas, isso é algo que merece destaque.

-
Arte/Redação
Continua após a publicidade

Ok, mas como funciona na prática?

Quando falamos sobre a representatividade que os termos juvélicos trazem, estamos falando em ter definições que não gerem apagamento de orientações dentro de uma relação. Por exemplo: um relacionamento entre um homem gay e um homem pan pode ser chamado de aquileano – termo cunhado para uma relação entre dois homens, independentemente de suas sexualidades. O mesmo vale para mulheres: uma mulher lésbica que se relacione com uma mulher pan pode ser chamado de sáfica. Os termos juvélicos podem ser usados também para falar sobre atrações específicas dentro de uma orientação: diz-se mascúlique alguém pertencente à sigla LGBTQIAP+ que sinta atração por homens, ainda que não exclusivamente. 

Outro termo bastante importante nesse universo é diamórique, usado para caracterizar uma pessoa não-binária que considera sua não-binariedade relevante em suas atrações e relacionamentos. Pode-se usar esse termo também para definir um relacionamento em que existe ao menos uma pessoa não-binária.

-
João Barreto/Ilustração

Como é um sistema que fala sobre gênero que se atrai por outro gênero, é possível se identificar também através de siglas baseadas no guia abaixo:

A: “atraíde por”. A letra A aparece normalmente no meio das siglas, indicando que o termo anterior sente atração pelo termo que vem em seguida.
B: pessoa binária (alguém que é sempre apenas mulher ou sempre apenas homem);
H: homem;
M: mulher;
NB: pessoa não-binária;
NG: pessoa neurogênero (alguém cujo gênero é influenciado por suas neurodivergências. Vale lembrar que o gênero de uma pessoa neurodivergente não precisa necessariamente ser influenciado por tais características)
Q: pessoa queer (fora da cis/heteronormatividade)
I: pessoa intersexo
X: pessoa agênero
XE: pessoa xenogênero (aquela cuja identidade de gênero é definida por ou pode ser comparada com animais, plantas, sentimentos, sensações, estéticas, objetos, fenômenos da natureza ou outras coisas não diretamente relacionadas ao binário de gênero)

Traduzindo: um homem, cis ou trans, que se sinta atraído por pessoas não-binárias e por mulheres é uma pessoa HANB e HAM. uma mulher não-binária que se sente atraída por outras pessoas não binárias e queer é uma MNBANB e MNBAQ. 

E, já que todos esses termos foram criados para garantir mais representatividade a quem se sentia contido apenas ao + da sigla LGBTQIAP+, é natural também que esses ativistas e pesquisadores tenham criado para si bandeiras específicas que representam suas identidades. Abaixo, listamos algumas das que já mencionamos anteriormente e algumas adicionais, para mostrar o quanto gênero e sexualidade são um espectro e podem ser fluidos. Olha só: 

Continua após a publicidade

-
João Barreto/Ilustração

Aquileano

Homem que sente atração por homens, exclusivamente ou não (HAH). Um relacionamento entre dois ou mais homens pode ser descrito como aquileano.

-
João Barreto/Ilustração

Sáfica

Mulher que sente atração por outras mulheres, exclusivamente ou não (MAM). Um relacionamento entre duas ou mais mulheres pode ser descrito como sáfico.

-
João Barreto/Ilustração

Julietiana

Mulher capaz de sentir atração por homens, exclusivamente ou não (MAH).

-
João Barreto/Ilustração

Romérico

Homem capaz de sentir atração por mulheres, exclusivamente ou não (HAM).

-
João Barreto/Ilustração

Roquileano

Homem que sente atração por homens e por mulheres, exclusivamente ou não (HAH e HAM).

-
João Barreto/Ilustração

Salietiana

Mulher que sente atração por mulheres e por homens, exclusivamente ou não (MAM, MAH).

Continua após a publicidade

-
João Barreto/Ilustração

Queeriane

Pessoa queer que sente atração por pessoas queer; alguém que celebra amor/atração e relacionamentos entre pessoas queer (QAQ).

-
João Barreto/Ilustração

Faniane

Alguém intersexo que sente atração principalmente ou exclusivamente por outras pessoas intersexo; que celebra o amor por pessoas intersexo (IAI).

-
João Barreto/Ilustração

Peroliane

Pessoa não-binária, homem e mulher, e que é capaz de sentir atração por homens, mulheres e pessoas não-binárias, exclusivamente ou não (NBAH, NBAM, NBANB, HAH, HAM, HANB, MAH, MAM e MANB).

-
João Barreto/Ilustração

Campione

Pessoa trans que sente atração principalmente ou exclusivamente por outras pessoas trans, ou que celebra o amor por pessoas trans (TAT).

-
João Barreto/Ilustração

Agenamórique

Pessoa agênero que entende isso como relevante em suas atrações. Um relacionamento envolvendo ao menos uma pessoa agênero pode ser descrito como agenamórico.

-
João Barreto/Ilustração

Escapolitiane

Pessoa não-binária capaz de sentir atração por homens e por mulheres, exclusivamente ou não (NBAH e NBAM).

Continua após a publicidade

Vale lembrar também que nem todos os termos juvélicos possuem bandeiras porque, como explicamos aqui, é um sistema novo e muito fluido, construído pelas pessoas que querem se sentir representadas. Uma das únicas listas completas de termos juvélicos disponível em português está no site do Orientando.org. Se quiser conhecer mais sobre esse universo, é só ler lá!

_______________________

As imagens que você viu nessa reportagem foram feitas por João Barreto. Confira mais de seu trabalho aqui.

Continua após a publicidade

Tags Relacionadas
mais de
evolução
Afinal, é possível separar os efeitos da planta de acordo com seus usos? Venha filosofar com a gente e entender melhor essa classificação
elastica-news85-Artboard-11@2x

Meu corpo, minhas regras?

Por
Mesmo após avanços legislativos, a emancipação do corpo feminino está longe de ocorrer – e a onda conservadora é a maior barreira para a autonomia
abre-carlos-papa-1

Uma outra Terra

Por
Carlo Petrini luta há quatro décadas por segurança alimentar a nível mundial. Suas conversas com o Papa Francisco tornaram-se livro. Nós entrevistamos ele
abre-ciencia-mulheres

Elas são visionárias

Por
Em um mercado em que elas representam apenas 35%, brasileiras referência na ciência e tecnologia impulsionam outras mulheres a desenvolver pesquisas
Porque ela já está nele. Conversamos com a influenciadora brasileira sobre intolerância religiosa, feminismo e seu desejo de acabar com estereótipos do islã

Não é ? Sair.

Ter independência no discurso, manter uma rede diversa de colaboradores, remunerar bem a todos e fomentar projetos sociais são bases fundamentais para a Elástica.
Vivemos de patrocínios de empresas que acreditam em nosso discurso e nossas causas, além da colaboração dos nossos leitores através de assinatura digital. Na página de Contas Abertas você pode ver os valores que hoje a Elástica arrecada, e conferir os custos que incorremos para produzir o conteúdo que oferecemos.