expressão

Elástica recomenda: travessias, sucessão e HQs

Histórias reais e fictícias para acompanhar e se deliciar estão na nossa programação do fim de semana!

por Alexandre Makhlouf Atualizado em 3 nov 2021, 16h10 - Publicado em
28 out 2021
22h38

Quais seus planos para este fim de semana? Na terça-feira que vem, dia 2 de novembro, temos feriado e isso significa emendar um descansinho extra para algumas pessoas. Mas mesmo quem vai trabalhar na segundona não tem desculpa para não aproveitar os próximos dois dias para se atualizar nas séries, filmes e novidades culturais que vêm bombando país afora com o avanço da vacinação e a reabertura. Provavelmente a sua listinha de coisas a fazer já deve ter alguns tópicos, mas a gente quer te convencer de que essas dicas abaixo valem a pena. Até porque muitas das recomendações dessa semana são para você acompanhar no Instagram ou incluir como um programa recorrente de domingo. Tem a história de uma ciclista que está atravessando a América pedalando – do Alasca ao Ushuaia – e também uma das tirinhas que a gente mais acompanhou durante o isolamento virando livro. Também tem dica de série premiada e perfil bagaceiro de humor pra seguir e perder uns minutos dando risada. Vem com a gente?

-
HBO/Divulgação

joão

Succession
No domingo passado, foi ao ar o segundo episódio da longamente aguardada terceira temporada de Succession. A série foi uma das que teve a produção adiada por um ano por conta da pandemia e agora retorna com todo seu humor refinado e baixarias dignas de uma novela das nove – ou minissérie das onze.

Traumas familiares, crimes, relações desestruturadas, disputa de poder, uma empresa em decadência e muito, MUITO, MUITO, dinheiro. Todos esses aspectos envolvidos em um subtom de crítica e sarcasmo criam o ambiente para a briga dos desestabilizados filhos de Logan Roy (Brian Cox) pela presidência do gigante conglomerado de empresas que é praticamente hegemônico nas telecomunicações estado-unidenses, e não anda bem. 

Acompanhar histórias de ultra ricos passando por – e criando – problemas que só ricos-muitos-ricos passariam tem algo de muito sádico. Assistir a essas situações esdrúxulas se sentindo uma mosca espectadora na sala mais alta de um arranha-céu da empresa em Nova York, então? Não tem preço. Um prato cheio pras fofoqueiras que gostam de dar pitaco na vida alheia. Se você ainda não acompanhava os dramas da família Roy, dá tempo de começar a ver as duas temporadas passadas e chegar antes do fim da terceira, que ainda é lançada semanalmente – meu programa preferido de fim de domingo.

Succession na HBO Max

• • • • •

Continua após a publicidade

-
Confinada/Divulgação

artur

Confinada
Um retrato cru da nossa realidade em tempos pandêmicos, a série de HQs “Confinada”, criada para o Instagram, será lançada em livro no próximo dia 8 de novembro. Criada por Leandro Assis e Triscila Oliveira, ela faz uma crítica social ácida sobre os privilégios de uma família brasileira trancada em casa devido ao vírus da covid-19, em um teatro que desfaz as bandeiras tacanhas de moral e bons costumes que tem apodrecido ainda mais nossa sociedade. O livro passou por campanha extremamente bem-sucedida no Catarse, arrecadando quase R$ 600 mil, e provando que a arte está viva e trabalhando em prol de uma cura do nosso frágil tecido social. Enquanto o livro não sai, você pode ler as tiras de “Confinada” no perfil de Leandro.

Acompanhe “Confinada” no Instagram

• • • • •

Continua após a publicidade

-
@juli_hirata/Reprodução

kareen

Extremo das Américas
Eu amo uma história de superação. No fundo, acho que todo mundo gosta, mas tem vergonha de falar. As minhas favoritas são aquelas que envolvem esportes (alô, Drauzio). Me dá mais uma pitada de coragem, superação e aventura. Meu deus, estou entregue!

A Juli Hirata tem muitas coisas com as quais eu me identifico, uma mulher-de-ascendência-asiática-35+-corajosa-em-cima-da-bike-que-largou-tudo (não, pera, essa parte ainda não cheguei). Ela saiu do Brasil em 2016 para fazer um biking solo começando pelo Alasca (Estados Unidos), passando por todas Américas até chegar o Ushuaia (Argentina). Ao que tudo indica, será a primeira mulher a concluir esse trajeto solo. Já pensou em largar tudo? Sair do emprego, fechar contas no banco, quitar dívidas, vender todas as suas coisas, encerrar plano de telefone e partir? E ela ainda se diz medrosa.

Continua após a publicidade

Por causa de uma queda grave na Costa Rica, ela voltou para o Brasil para se tratar e ficou presa por aqui na pandemia. Há alguns meses, voltou ao Equador para terminar a viagem.

Já foram 22.283 km percorridos, estradas de asfalto, terra, areia, rios, montanhas, chuva, sol e muito sorriso no rosto. Você também pode acompanhá-la diariamente pelo Instagram. Impossível não se emocionar com tantos relatos pessoais, tanto das aventuras e perrengues, como de descobertas e pensamentos sobre estar sozinha abraçando a incerteza. Obrigada, Juli <3

Você pode assistir ao vídeos da primeira parte da viagem em seu canal no Youtube.

• • • • •

Continua após a publicidade

-
@xetdoifood/Reprodução

alê

Xet do iFood
Essa semana, peço desculpas por decepcionar os leitores que chegam aqui procurando dicas culturais e que engrandecem o ser humano. Minha recomendação é mais bagaceira, mas não menos divertida. Seguir o Xet do iFood no Instagram é, para mim, uma dose de risada diária. Esse perfil compila os melhores prints de interações no maior aplicativo de delivery do país e, como o melhor do Brasil é o brasileiro, o que não falta são bons pedidos e respostas ainda melhores. 

Dos clientes decepcionados que recebem um retorno pouco amigável – para não dizer grosseiro – dos estabelecimentos a restaurantes e lanchonetes que escolhem nomes incomuns para seus pratos, como “Dano Moral” e “Divórcio”, o que não falta no Xet do iFood são oportunidades para rir e até mandar aquela resposta engraçada para o crush. Eu prometo que você não vai se arrepender desse follow.

Xet do iFood no Instagram

• • • • •

Continua após a publicidade

Tags Relacionadas
mais de
expressão
Sem ideia do que fazer no fim de semana? Vem que aqui tem dica de série, programa de TV e filme pra driblar o tédio!
Música, arte e experimentação constroem o novo espaço cultural de São Paulo
capa

Confinada

Por
As tiras que surgiram nas redes sociais viraram um livro que retrata a sociedade de hoje e seus problemas, como desigualdade, racismo e xenofobia
Artes visuais, música, dança e teatro são alguns destaques da primeira edição do festival campo-grandense
No mês da Consciência Negra, listamos fotógrafos, grafiteiros e artistas plásticos que contribuem para a construção cultural da sociedade

Não é ? Sair.

Ter independência no discurso, manter uma rede diversa de colaboradores, remunerar bem a todos e fomentar projetos sociais são bases fundamentais para a Elástica.
Vivemos de patrocínios de empresas que acreditam em nosso discurso e nossas causas, além da colaboração dos nossos leitores através de assinatura digital. Na página de Contas Abertas você pode ver os valores que hoje a Elástica arrecada, e conferir os custos que incorremos para produzir o conteúdo que oferecemos.