envolvimento

Empreendedorismo negro

No mês da Consciência Negra, listamos pessoas pretas que criaram suas próprias empresas e fomentam a diversidade

por Redação 3 nov 2021 00h09
-
Clube Lambada/Ilustração

mês de novembro é um dos mais importantes no nosso calendário. É quando o movimento negro celebra o orgulho de sua identidade e a mídia coloca os holofotes sobre as questões que eles combatem 365 dias ao ano. O dia 20, Dia Nacional da Consciência Negra, foi escolhido para simbolizar a importância dessa data por ser o aniversário de morte de Zumbi dos Palmares, último líder do Quilombo dos Palmares, símbolo de resistência da luta contra o racismo no Brasil.

O jornalismo em que a gente acredita depende de você; apoie a elástica

Aqui na Elástica, “pautas identitárias” e “conteúdo de diversidade”, nas quais o movimento negro normalmente é encaixado nessas coberturas, são chamadas apenas de “pautas”. Procuramos trazer olhares distintos o ano inteiro e temos um time de colaboradores diverso que nos ajuda a cumprir essa missão. E, neste novembro, seguiremos essa linha editorial com algumas adições, como listas que enaltecem personalidades negras e iniciativas criadas por elas que contribuem para deixar o mercado menos desigual.

Para começar, queremos falar sobre empreendedorismo. De acordo com dados do estudo “Empreendedorismo negro no Brasil”, realizado pela aceleradora PretaHub, da Feira Preta, em 2019, homens e mulheres negras que tocam seus próprios negócios movimentam R$ 1,7 trilhão por ano no Brasil. Em um país cuja maioria da população se identifica como preta ou parda, precisamos de mais narrativas desse universo protagonizadas por pessoas não-brancas.

Pensando nisso, selecionamos seis pessoas e organizações para você conhecer e apoiar. Olha só:

Continua após a publicidade

Adriana Barbosa – Preta Hub

A empreendedora Adriana Barbosa é uma das mulheres pioneiras em ações afirmativas voltadas para o terceiro setor no Brasil. Ela fundou há quase duas décadas a Feira Preta, um dos maiores eventos sócio-culturais negros do Brasil, reunindo encontros que falam sobre artes e sobre o mercado, que nasceu para levar aos consumidores a multi-pluralidade criativa e cultural afro, conectando pessoas das mais diversas com a intenção de fomentar novos diálogos e iniciativas de valor à sociedade brasileira.

Depois de 18 anos, a Feira Preta deu origem ao Preta Hub, um escritório que cuida não só da organização do evento anual, bem como continua os trabalhos de inclusão, fomento e desenvolvimento de projetos gestados. O Preta Hub ainda administra o Afrolab, o Festival Potências Pretas, o Fundo Éditodos, o Afro Hub e o espaço de talks “Conversando que a gente se aprende”.

Continua após a publicidade

Karla Lopes – Lunnare Co.

A reconexão com a sabedoria ancestral fez com que Karla Lopes se dedicasse ao autocuidado holístico. Em meados de 2018, ela passou a fazer bastões de ervas e sprays para uso pessoal utilizando ervas como guiné, espada-de-são-jorge, comigo-ninguém-pode e arruda, todas colhidas diretamente do poderoso quintal de sua avó.

A partir disso, Karla viu a possibilidade de passar esse conhecimento e os benefícios das plantas para outras pessoas – e foi aqui que ela criou sua própria marca. Na Lunnare Co., é possível encontrar produtos feitos com ervas medicinais e aromaterapia, ideais para melhorar o nosso bem-estar. São incensos, óleos aromáticos, banhos de ervas, escalda pés, velas perfumadas, bálsamos energéticos e até acessórios como colares difusores.

Continua após a publicidade

Grupo Ifé Medicina

Ter um médico de confiança é essencial para a manutenção da boa saúde. Quando se é negro, as barreiras do preconceito muitas vezes tornam a relação entre paciente e doutor nebulosas. Pensando nisso, cinco médicas cariocas fundaram o Grupo Ifé Medicina. 

As especializações das doutoras Cecília Pereira, Abdulay Eziquiel, Liana Tito Francisco, Julia Rocha e Aline Tito abrangem praticamente todas as necessidades médicas básicas da maioria de nós, passando por ginecologia e mastologia, cirurgia plástica, oftalmologia, dermatologia e cardiologia. Para marcar uma consulta, basta clicar no link da bio do perfil do Grupo Ifé Medicina e escolher se deseja fazer o agendamento por Whatsapp ou por telefone. Em ambas as maneiras, o acolhimento é garantido.

Continua após a publicidade

Ciça Pereira – Afrotrampos

Ainda que a população negra seja maioria no país, há muita desvalorização desses profissionais no mercado de trabalho. Pensando nisso, Ciça Pereira fundou o Afrotrampos, uma plataforma de ações afirmativas e rede de apoio que tem como objetivo diminuir a desigualdade no meio corporativo.

Tudo começou em 2018, com a criação de um grupo do Facebook. Hoje, a rede já soma mais de 38 mil membros, 50 mil pessoas impactadas e quatro grandes curadorias para feiras de negócios. Seu escopo conta com divulgações de vagas, soluções criativas de inclusão, consultorias para diversidade nas empresas, bolsas profissionalizantes e recrutamento de profissionais. 

Continua após a publicidade

Isaac Silva

O estilista Isaac Silva nasceu em Barreiras, cidade do interior da Bahia a 800 quilômetros de Salvador. Ainda criança, teve seu primeiro contato com a moda na casa de Morena, uma costureira amiga da família. Já quando foi estudar, sentiu falta de referências negras em todo o seu curso. Até que criou a própria marca de roupas com o objetivo de “desafiar o preconceito racial através de criações repletas de referências afro-brasileiras e indígenas”. 

Seu talento vem se destacando no cenário nacional, tanto que se tornou o queridinho de celebridades como Elza Soares e Gaby Amarantos, foi destaque do SPFW e até fez uma parceria com a Havaianas. Para ele, a frase “Acredite no seu Axé” é uma filosofia de vida que não está no campo material, mas que interfere em suas nas criações, entregas e resultados. 

Continua após a publicidade

Paulo Rogério Nunes

Este empreendedor baiano é sinônimo de inovação no mercado nacional e internacional. Um dos fundadores da Vale do Dendê, aceleradora de startups da área criativa e digital em Salvador, na Bahia, Paulo foi um dos únicos brasileiros selecionados para um encontro privado com o ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama em sua visita ao nosso país. O motivo? Seu trabalho como consultor em diversidade e atuação no mercado, fazendo parte da rede alumni do Berkman Klein Center da Universidade Harvard e foi fellow da Fulbright na Universidade de Maryland.

Paulo também é sócio da Afar Ventures, empresa com sede nos Estados Unidos que capta investimentos para o Brasil, e atua também como palestrante e consultor na criação de estratégias para empresas. Vale acompanhar seu trabalho e, principalmente, o que ele tem a dizer.

Continua após a publicidade

Tags Relacionadas
mais de
envolvimento
IMG_9983-1

De repente 35

Por
O Brasil ainda tem uma das menores expectativas de vidas para travestis e mulheres trans. Para elas, o que significa chegar na velhice?
mtst-marighella_121221_1101

Sem tempo para o medo

Por
Acompanhamos a exibição de 'Marighella' na ocupação do MTST Carolina Maria de Jesus e vimos que a luta do guerrilheiro está mais viva do que nunca
Primeiro canal voltado à cultura afro-urbana em 70 anos de TV no Brasil, equipe é quase toda formada por negros, que ocupam os cargos de liderança
Mais diversidade de pensamento começa também por escolher mais autores e autoras negras para a sua biblioteca
Debora Baldin passou dias com o ex-presidente uruguaio e faz um relato de um homem que está à frente do nosso tempo

Não é ? Sair.

Ter independência no discurso, manter uma rede diversa de colaboradores, remunerar bem a todos e fomentar projetos sociais são bases fundamentais para a Elástica.
Vivemos de patrocínios de empresas que acreditam em nosso discurso e nossas causas, além da colaboração dos nossos leitores através de assinatura digital. Na página de Contas Abertas você pode ver os valores que hoje a Elástica arrecada, e conferir os custos que incorremos para produzir o conteúdo que oferecemos.