expressão

Oprah + Viola: um evento (realmente) especial

14 motivos para assistir a essa entrevista, que fala sobre felicidade, vulnerabilidade e a história da atriz negra mais indicada ao Oscar

por Redação Atualizado em 22 abr 2022, 16h11 - Publicado em 22 abr 2022 15h47
-
Clube Lambada/Ilustração

recisando de algo para passar o tempo e, de quebra, se inspirar e se emocionar? Temos a dica perfeita. Estreia nesta sexta-feira, 22, Oprah + Viola: um evento especial na Netflix. Apesar do tempo curto (são apenas 48 minutos de entrevista), o conteúdo do papo é daqueles que faz a gente pensar, sorrir e até derramar uma ou outra lágrima, já que Viola divide detalhes íntimos de sua vida como a infância que viveu praticamente na miséria, os abusos sexuais que, seu propósito como atriz e sua jornada para chegar onde chegou: a atriz negra mais indicada ao Oscar – ela ganhou uma estatueta e levou outras quatro indicações –, e uma das mais premiadas do mundo, já que também acumula um Emmy e dois Tony Awards, a maior honraria do teatro americano.

Quem gostar tanto quanto a gente e quiser mergulhar mais fundo nessa história pode conferir também o livro Finding Me: A Memoir, autobiografia que Viola Davis lança no próximo dia 26. Enquanto isso, listamos aqui embaixo 15 motivos e melhores momentos dessa troca entre Oprah e Viola. 

Continua após a publicidade

1. “So here we are on my porch in Maui”
“Bom, estamos aqui na minha varanda em Maui” é a primeira frase da entrevista, dita por Oprah em… sua varanda em Maui. Além da vista ridiculamente bonita da ilha havaiana, é importante lembrar e celebrar que esse é um papo entre duas mulheres negras e bem sucedidas – e que esse espaço também pode ser delas.

2. Frutos de uma crise
Viola admite que escreveu seu livro de memórias durante uma crise existencial, que se transformou em uma crise de propósito acentuada pela pandemia. A atriz lembra que, durante os últimos 13 anos, viveu uma grande ascensão e fama global e que acreditava que isso finalmente faria com que ela descobrisse o sentido da vida, mas isso não aconteceu. Fica a dica.

3. A atriz negra mais indicada ao Oscar
Oprah faz um lembrete nada discreto de que Viola é a artista negra mais indicada à estatueta dourada, com 1 vitória e 4 indicações. Viola é gigante e é sempre bom lembrar disso.

-
Netflix/Divulgação

4. A agulha de crochê
Ao lembrar de sua infância, Viola conta que se achava uma criança durona por levar uma agulha de crochê para escola a fim de se defender. Ela conta rindo, mas o motivo é dos mais tristes: a atriz lembra que estava sempre pronta para sair correndo ao fim de cada aula porque oito garotos brancos sempre a perseguiam, chamando-a de “crioula feia” e atirando pedras e gravetos nela. “Esse momento me definiu. Eu nunca parei de correr e fugir, só meus pés que pararam de se mover.”

5. Página virada
Oprah diz: “Eu achei que tinha crescido pobre até ler sua história, Viola” e elas riem disso. Não de forma desrespeitosa, mas reconhecendo o sucesso que ambas atingiram e, de certa forma, celebrando que passaram por isso e ainda estão aqui.

6. O preço da violência
Viola reconhece o preço que ela pagou e paga por ter tido que enfrentar o pai em um episódio particularmente violento dentro de casa, em que ele quebrou um copo na cabeça de sua mãe, e como isso demandou absurdamente dela emocionalmente. “Mas também foi um momento de virada, porque eu tinha 14 anos e foi com essa idade que decidi que seria atriz”, ela completa.

7. Terapia
Durante toda a entrevista, Viola menciona seu terapeuta muitas vezes e o quanto a terapia transformou sua vida, especialmente a relação com o pai, com quem ela viveu momentos traumático na infância e só se reconciliou na vida adulta.

“Perdoar é abrir mão da esperança de que o passado poderia ter sido diferente. No fim das contas, é o que todos estamos tentando fazer: o melhor possível com o que nos foi dado”

Viola Davis
Continua após a publicidade

-
Netflix/Divulgação

8. Perdão
Uma das frases mais bonitas da entrevista é dita por Viola quando ela fala sobre os pais: “Perdoar é abrir mão da esperança de que o passado poderia ter sido diferente. No fim das contas, é o que todos estamos tentando fazer: o melhor possível com o que nos foi dado”

9. Quem caminha com você?
Ao lembrar de seu primeiro professor do teatro, que disse a Viola o quanto ela era bonita quando nunca ninguém havia dito isso – inclusive, quando o mundo cismava em dizer a ela o contrário – a atriz aconselha: “Encontre pessoas que te amam, porque isso vai servir quase como uma autorização para que você se ame também.”

“Encontre pessoas que te amam, porque isso vai servir quase como uma autorização para que você se ame também”

Viola Davis
-
Netflix/Divulgação

10. Compaixão, empatia e educação
Viola revisita momentos dolorosos de sua infância, que foi muito pobre. Ela lembra quando ia à escola com as roupas cheirando a urina, porque era pequena, fazia xixi na cama e não tinha roupas limpas. Ela conta também que seus professores foram seus salvadores, em especial uma professora que dava a ela roupas de segunda mão da filha. “Quando você fica cara a cara com a compaixão e a empatia, é impressionante como isso acaba com a vergonha que você sente”, revela.

11. Precisamos falar sobre abuso
Oprah e Viola falem sobre como na época de suas infâncias, o abuso sexual que garotas sofriam não era algo falado, que nem existia uma palavra para isso. Não existiam ensinamentos sobre quais eram esses limites com meninas, o perigo de deixá-las com um homem amigo da família quando os pais saíam, por exemplo, e quantas histórias tristes podem ser evitadas quando falamos sobre isso.

12. Paixão pela profissão
A atriz fala em muitos momentos da entrevista sobre como atuar foi parte de seu processo de curar, como os palcos foram um lugar para ela trabalhar os traumas. “Acredito que o trabalho de atrizes e atores é mostrar a nós sobre nós mesmos, a parte que ninguém quer ver, as histórias que ninguém quer contar.”

13. Maternidade e adoção
Viola também conta como o processo de cura das próprias feridas passou pela maternidade e pela adoção da filha Genesis, reconhecendo que as diferenças e as semelhanças que existem entre ela e a filha também a ajudam a ter mais compaixão consigo mesma.

14. Deu tudo certo
“Estou vivendo pela minha paz e minha alegria. quero ser feliz na minha vida. eu sei que felicidade é uma jornada, não um destino, mas eu quero sentir paz e alegria nessa jornada. e quero que isso ajude as pessoas ao meu redor” é a resposta de Viola à pergunta final de Oprah. E acho que isso vale como conselho para qualquer um que assista a essa entrevista.

Continua após a publicidade

Tags Relacionadas
mais de
expressão
"Pureza", novo filme nacional, conta a história real de uma mulher que enfrentou fazendeiros em busca de seu filho e lutou contra o trabalho escravo
Kaique Brito fala sobre política, posicionamento nas redes sociais e como a chave para combater o fascismo está nas nossas mãos
Filmes e séries aterrorizantes para embalar a noite dessa data assombrada
1-diego-cama-elastica

Diego Cruz na Cama Elástica

Por
Em nosso questionário, o ator e influenciador conta como foi das redes sociais às telas da televisão
O carioca de 21 anos transformou seu choro em uma mostra de 73 pinturas exibidas no salão principal do MAC-Niterói – é o artista mais novo a expor ali

Não é ? Sair.

Ter independência no discurso, manter uma rede diversa de colaboradores, remunerar bem a todos e fomentar projetos sociais são bases fundamentais para a Elástica.
Vivemos de patrocínios de empresas que acreditam em nosso discurso e nossas causas, além da colaboração dos nossos leitores através de assinatura digital. Na página de Contas Abertas você pode ver os valores que hoje a Elástica arrecada, e conferir os custos que incorremos para produzir o conteúdo que oferecemos.