estímulos

Puzzy by Anitta: afinal, precisamos de perfume íntimo?

Nosso colunista Uno Vulpo reforça que ninguém precisa mascarar os odores da região e relembra como fazer uma boa higiene íntima
por Uno Vulpo (@sento.mesmo)
2.08.2022
08h53
Perfume íntimo Puzzy by Anitta
Foto/Divulgação

O Puzzy de Anitta gerou – e está gerando – muita polêmica nos últimos dias. A cantora anunciou, na última quinta-feira, 28 de julho, o lançamento de Puzzy, perfume íntimo para o seu p*u, c* ou sua buc*ta em parceria com a Cimed (sim, a marca do KMed). Num primeiro momento, pensar num perfume para tirar aquele “cheirão” antes de dar uma transada – ou se preparar para uma possível depois da balada – é uma boa ideia, né já que nem sempre dá tempo de tomar banho antes de ir para cama… Mas, quando a gente pensa um pouco, não é uma ideia tão legal assim não, e vou explicar o porquê.

Em primeiro lugar, no caso das vaginas principalmente, elas precisam de estar num pH específico para manter o que chamamos de flora vaginal. A flora é uma coleção de microrganismos (maioria lactobacilos) que mantêm a acidez e evita que outros microrganismos, que causam malefícios, gerem doenças na área vaginal. Então, qualquer substância que mexa com essa flora pode acabar alterando o ambiente da vagina e causar problemas. Não à toa, os sabonetes íntimos também não são recomendados por ginecologistas e dermatologistas, pois também alteram a flora vaginal. Em comunicado a sites de notícias, a Cimed afirmou que o Puzzy by Anitta não altera o pH vaginal, o que é um alívio, mas nos leva a outra questão.

Em segundo lugar, existe uma cultura machista e misógina de colocar a vagina como um órgão fedido ou nojento – tem gente que se recusa fazer sexo oral por exemplo – e isso faz com que muitas pessoas fiquem se lavando além da conta, quase enfiando um sabonete inteiro no útero, por conta da insegurança de ir transar e a pessoa achar que você fede. Em boa parte das vezes que mulheres, e homens trans, chegaram em um atendimento comigo reclamando de odor vaginal ou corrimento, eram situações e cheiros normais. Todavia, socialmente, as pessoas insistem na ideia de que genitais não devem ter cheiro nenhum ou cheirar a alfazema e lavandas.

Produtos que dão outros odores para a região genital são desnecessários e podem causar problemas. Sem falar que, se você está sempre perfumando, você não vai conseguir diferenciar quando o seu cheiro mudar com alguma doença que afete a região.

Higiene íntima: como fazer?

Vaginas, sheylas, suellens, xotas e bucetas…
Antes de tudo, entenda que não é preciso lavar a vagina, mas a vulva, que é a parte externa, composta por lábios, clitóris e aquela pele que recobre o clitóris. A parte de dentro não precisa lavar, não.Não precisa de muita coisa além de água morna, mas caso você queira dar uma limpada a mais, recomendo sabão neutro que não irrita a pele, sem cheiro e sem cor (tem gente preocupada que passa até esfoliante).Separe os lábios e limpe entre eles com a mão, sempre evitando que água entre para dentro da vagina.Ah, e sempre limpe de frente para trás! Para não puxar bactérias do ânus para sua vulva.

Paus, pepinos, pirocas e jorginhos…
No caso de quem tem pênis, o problema tende a ser o contrário. É muito comum achar pessoas que realmente não sabem lavar o pinto ou que nem se preocupam em lavar.O perfume no pau causa um pouco menos de problema, mas a substância pode ser irritativa para o genital que tem uma pele sensível e vai gerar alergias, coceira, irritação e muito desconforto.A regra da água morna também funciona no pênis e, se quiser usar sabão, use um neutro que não irrite peles sensíveis. Para quem não tirou a capinha (prepúcio), precisa puxar tudinho e limpar por dentro dele também.Para fazer xixi, tente sempre puxar o máximo de prepúcio para evitar que fique urina dentro dele, pois isso gera mau cheiro e pode ajudar na proliferação de doenças.E o queijinho? Quejo de pau não rola (desculpa para quem é pig)! É uma substância que incentiva a proliferação de bactérias e pode levar a infecções, sem falar que fede para cacete né mona? Se limpe!

E o cuzão?
NUNCA BORRIFE OU COLOQUE QUALQUER SUBSTÂNCIA, PRINCIPALMENTE ALCÓOLICA, NO ÂNUS. A mucosa que recobre o ânus é muito sensível, você pode entrar num coma alcoólico ao passar um perfume na região, por exemplo (tanto que tem gente que usa droga pelo c*, né?).A melhor forma de limpar é com água. O bidê era maravilhoso e, hoje, os chuveirinhos tomaram seu lugar e espaço, e é a forma correta de limpar seu rabão. O papel você usa para SECAR. Tem gente que passa o papel com tanta força que gera irritações na região. 

Fica o lembrete, então: pau tem cheiro de pau e buceta tem cheiro de buceta – e as pessoas precisam começar a se habituar com essa ideia. Cada dia mais temos casos de gente que usa produtos e faz até cirurgias genitais (vem ler meu texto sobre o assunto aqui) por conta de inseguranças geradas por crenças e modinhas. Seus órgãos são lindos e você precisa se empoderar deles, você tem esse DIREITO (voz da Alexandrismos). 

Desculpa, Anitta, mas desta vez não deu para te defender :( mas eu te adoro, tá? Escuto todas.

 

Tags Relacionadas
mais de
estímulos
Mulheres e jovens lideram a pesquisa, que mostra que a sociedade está deixando o tabu de lado
pexels-rodnae-productions-5637703b

Paixão em toda idade

Por
As relações depois dos 60 anos tendem a ser mais satisfatórias e libertadoras para as mulheres, que aproveitam a fase para quebrar tabus sobre a vida sexual
Técnicas, dicas, cuidados e recomendações de sexólogos para curtir sozinho, sozinha e também com parceiros
gounageArtboard 1

Elástica explica: gouinage

Por
Entenda mais sobre a prática de sexo sem penetração, de onde surgiu o nome e como praticá-la em segurança